the bright side of the moon – Description of the project

| home >

painting > text > Duarte Melo and Tomaz Vieira > video1, video 2

THE BRIGHT SIDE OF THE MOON

Description of the project

The present project consisted in the analysis of the ‘visual elements’ that exist in the environment (Azores) and its aesthetic problematics.
The involving environment has been observed in physical and geographic terms, through a visual reinterpretation of natural elements like the moon and the rests of volcanic activity that exists in the Azores.
From this analysis surge as elements of the work the light, the form, the space and the time.

On the Azores, and particularly on the Island of São Miguel, you can find a territory with a high level of seismic activity and a medium level of volcanic activity, where complex tectonic and volcanic mechanisms coexist. We can find volcanic cones of which the form determined, with the forms of the moon, a formal starting point for a modulation or inscription in the works of circular or semi-circular figures. The existing volumetry in some of the works determines behaviour on the level of observation and of the circulation that is differentiated by the spectators.
The sunlight is reflected on the moon and during the lunation the illuminated part is seen with various aspects, depending on the relative positions of the sun and the moon in relation with the earth.
The developed works behave in the same way through a variation of luminosity on its surface, depending on the moment of the day when observed.
Like the sun-clocks, the involved pictures create a value-system with a physical character that allow to determine a temporal variable ( because of the synchronous movement of its elements) .
Understanding the composition as a structuring instrument of the involved elements, it was tried to put them in a hierarchy, as to give to the spectator a coherent ‘reading’ of the goals to achieve. Considering the time variable the most important, and considering this element susceptible of being eliminated easily in virtue of incorporating the light as the interpretive vehicle of the variable in question, this ‘delicate nature’ demanded a ‘minimalist’ attitude in the concern of all existent/existing visual elements.
elements that constitute the presented works

The chosen format, a quadrangular support, respects the neutral value by its own nature of the geometric figure ( with equal sides ),without interfering in the general ‘reading’ of the visual elements and promoting a central composition.
Interacting in an active way, the first plan manifests itself in two ways :
Inscription in some of the works of linear, circular or semi-circular forms in black and suggestion of the volumetric values of circular or semi-circular forms through the resulting shadows. Even though they are elements of the first plan, the circular forms structure the second plan through the equilibrium that they lend to the other elements and they remit the spectator to an associated poetic to the light ( shadowing of the second plan).
In the second plan, fulfilling an agglomerating functioning in relation to the other elements, the horizontal or vertical files in a three-dimensional form show themselves as an omnipresent element in the presented compositions, being a support for the volumes or inscribed forms on the surface, interacting with the light, reflecting it or shadowing it conform the time-variable. It is to say that the provoked shadow by the three-dimensional value of these elements, as visible part, should be interpreted in a pictorial way.
In relation to the colour, by its own expressive vocation, the white, the black and the greys easily call absolute ‘values’, beside the fact that they are neutral and because of the fact that they respect the time-variable.
In the same way, the greys resulting from the provoked shadows by the three-dimensional elements, assume a determinating plastic value in the ‘reading’ of the works, because this element interacts directly with the other elements (anulating or reforcing them ) and with the public.
Complementary information :

Website :

http://filipefranco.piczo.com – look for “The Bright side of the Moon”


Technical information :

Title : The Bright side of the Moon, from #1 to #6.
Dimension : 140 x 140 cm.
Technique : primary enamel over a mixed technique.
Place : Atalhada
Date : 2006

*

THE BRIGHT SIDE OF THE MOON

Descrição do projecto

O presente projecto consistiu na análise de “elementos visuais” existentes no meio ambiente (Açores) e sua problematização estética.
O meio envolvente foi observado em termos físicos e geográficos, através de uma reinterpretação plástica de elementos naturais como a Lua e os vestígios da actividade vulcânica existente nos Açores.
Da análise efectuada, a luz, a forma, o espaço e o tempo, surgem como elementos do trabalho.

Nos Açores e em particular na Ilha de S. Miguel pode-se encontrar um território de alta sismicidade e de média vulcanicidade onde coexistem mecanismos teutónicos e vulcânicos complexos. De entre estes, podemos encontrar cones vulcânicos cuja forma determinou em conjunto com as formas da lunação um ponto de partida formal para a modulação ou inscrição nos trabalhos implicitamente ou explicitamente (conforme os casos) de figuras circulares ou semicirculares. A volumetria existente em alguns trabalhos, determina comportamentos ao nível da observação e da circulação diferenciados por parte do espectador.

Na Lua, a luz solar é reflectida pela sua superfície e durante a lunação, a parte iluminada apresenta-se com vários aspectos, consoante as posições relativas do Sol e da Lua em relação à Terra. Os trabalhos desenvolvidos, comportam-se do mesmo modo através de uma variação da luminosidade na sua superfície, dependendo do momento do dia em que é observado pelo espectador.
Tal como nos relógios de Sol, as pinturas desenvolvidas criam um sistema de valores de carácter físico que permitem determinar (devido ao movimento síncrono dos seus elementos) uma variável temporal.

Entendendo-se a composição como instrumento estruturador dos elementos desenvolvidos, procurou-se hierarquizá-los de forma a dar ao espectador, uma “leitura” coerente dos objectivos a atingir. Considerando a variável tempo como o elemento mais importante e considerando este elemento susceptível de facilmente ser anulado em virtude de incorporar a luz enquanto veículo interpretativo da variável em causa, esta “delicada natureza” exigiu uma atitude “minimalista” no que respeita a todos os elementos visuais existentes.
Elementos constitutivos dos trabalhos apresentados

De suporte quadrangular, o formato escolhido respeita um valor “neutral” pela própria natureza da figura geométrica em causa (de lados iguais), não interferindo na leitura geral dos elementos visuais e promovendo deste modo uma composição central.

Interagindo de forma activa, o 1º plano manifesta-se de duas formas: Inscrição em alguns trabalhos de formas lineares circulares ou semicirculares a preto e sugestão através de valores volumétricos de formas circulares ou semicirculares através dos sombreamentos resultantes. Apesar de serem elementos de 1º plano, as formas circulares estruturam o 2º plano através do “equilíbrio” que emprestam aos restantes elementos e remetem o espectador para uma poética associada à luz (sombreamentos de 2º plano).

No 2º plano, desempenhando uma função aglomeradora em relação aos restantes elementos, as “filetes” horizontais ou verticais de forma tridimensional assumem-se como elemento omnipresente nas composições apresentadas, desempenhando um papel de “suporte” a volumes ou formas inscritas sobre a sua superfície, interagindo com a luz, reflectindo-a ou sombreando-a conforme a “variável tempo” . De notar que a sombra provocada pelo valor tridimensional destes elementos, enquanto parte visível, deve ser interpretada de uma forma pictórica.

Em relação à cor, pela sua própria vocação expressiva, o branco, o preto e os cinzas, evocam facilmente “valores” absolutos, para além de serem neutros e consequentemente respeitarem a “variável tempo”. Do mesmo modo, os cinzas resultantes da sombra provocada pelos elementos tridimensionais assumem um valor plástico determinante na leitura dos trabalhos pois este elemento interage directamente com os restantes elementos (anulando-os ou destacando-os) e o público.


Informações complementares:

website:

Filipe Franco Arte contemporânea: >http://filipefranco.piczo.com > “The Bright side of the Moon”


Dados técnicos:

Titulo: The Bright side of the Moon, De #1 a #6.
Dimensão: 140 X 140 cm.
Técnica: Esmalte primário sobre técnica mista
Local: Atalhada
Data: 2006

—————————————-

< home | art work | photography | catalogues | links | contact | Archives | forthcoming projects

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s